Pular para o conteúdo

Dark mode – o lado escuro da lua web

A melhor opção para saúde da visão ou estética modinha?

João Diegues

João Diegues

— Designer Gráfico

Categoria: Experiências Digitais

Tempo de leitura 7 Minutos

Data de publicação: 20.12.2023

Dark mode – o lado escuro da <del>lua</del> web

Usar o modo escuro tem ganhado favoritismo para alguns usuários do meio digital. As redes sociais, sites e aplicativos oferecem essa implementação para o consumo de seu conteúdo.

Mas, com toda essa popularidade, cresce a dúvida: seria o modo escuro um sinônimo de saúde para a visão ou apenas um efeito placebo de uma estética que está na moda?

Segundo a provedora de soluções digitais Creative’s Geniel, o modo escuro também conhecido como “tema escuro” ou “dark mode” continuará sendo uma opção popular para 2023. E, com a popularidade, surgem diversos estudos sobre os benefícios e as vantagens de se usar do modo escuro.

Mas, antes disso, é interessante entender como o modo escuro começou.

Curiosamente, os computadores começaram, por assim dizer, em modo escuro. Segundo Edward Vega, produtor de vídeo na agência Vox Media, disse em uma entrevista que os primeiros computadores usavam fósforo iluminado por elétrons para mostrar as informações nas telas, devido à sua capacidade de mostrar apenas uma cor. Com isso, os fundos de tela precisavam ser, inevitavelmente, escuros. Já nos anos 60 e 70, com o avanço da tecnologia, vieram os primeiros computadores capazes de mostrar cores.

Isso foi revolucionário e as empresas rapidamente mudaram de telas monocromáticas do passado para telas coloridas do futuro, porque com cor é simplesmente melhor. E, com isso, vieram os primeiros modos claros.”

Ainda de acordo com Edward, outro fator que contribuiu para a preferência do modo claro nessa época foi o skeuomorfismo: a ideia de que temos facilidade em compreender ferramentas digitais quando se parecem com suas versões físicas (por exemplo: o programa word em comparação ao papel e caneta). Ou seja: superfícies brancas com textos e informações em preto. Esse mundo colorido passou a fazer parte da experiência digital desde então.

Mas por que, mesmo com todo esse avanço tecnológico das cores em telas claras, voltamos a usar o modo escuro?

Ajuda a salvar a bateria

Primeiramente, podemos abordar a economia de energia. Com a presença online sendo necessária tanto pessoal quanto profissionalmente, os smartphones tornaram-se uma ferramenta essencial no nosso dia a dia. Então, é interessante que os aparelhos permaneçam em bom funcionamento por longas horas.

De acordo com o site de tecnologia Techspot, quando o modo escuro é ativado, aparelhos que possuem organic light-emitting diode (OLED) essencialmente desligam os pixels de suas telas, sendo necessária menos “luz” para mostrar o conteúdo. Consequentemente, menos energia é gasta e a bateria é conservada.

E o Techspot traz comparativos para provar a economia de energia.

O dispositivo do Google consome 250mA com brilho máximo no modo normal, enquanto o telefone da Apple estava com 230mA. No modo noturno com brilho máximo, entretanto, o consumo do Pixel cai 63%, para 92mA.”

Essa porcentagem na conservação de bateria também pode ser percebida em sites, como o aplicativo do Youtube. A revista online Smashing Magazine alega que, usando 50% de brilho na telas o modo escuro salva até 15% mais energia de tela, do que em uma interfaces claras. Já com 100% de brilho, o modo escuro pode preservar até 60% de energia de tela.

Comparativos de telas escuros e claras
Smashing Magazine (https://www.smashingmagazine.com/2020/04/dark-mode-react-apps-styled-components/)

Conforto na hora da leitura

A legibilidade também pode ser positivamente afetada pelo modo escuro como o foco, a dispersão de luz e contraste.

O foco visual é, em partes, afetado pela quantidade de luz que os olhos recebem do ambiente. Em locais onde a luminosidade é mais intensa, a pupila tende a se contrair para evitar o ofuscamento e permitir que tudo fique em foco. Porém, quando o ambiente é escuro, as pupilas dilatam para permitir que mais luz possa entrar. Nesses casos, o modo escuro é importante por simular a mesma intensidade de luz do ambiente ao redor, enfatizando elementos visuais, como imagens.

O optometrista Antonio Hong explica que a visão humana tem uma pré-disposição natural a identificar coisas brilhantes contra um fundo escuro. Por exemplo: é mais fácil observar pequenas estrelas num céu noturno do que encontrar um avião em um dia claro. Ele também comenta que usar o modo escuro durante a noite, quando os olhos já estão acomodados com a pouca luminosidade, é mais confortável para a visão, pois evita o incômodo do brilho causado pelas telas brancas e pode até ajudar na indução do sono, no caso de pessoas que checam as redes sociais antes de dormir.

É interessante observar que o modo escuro não é simplesmente a implementação de um fundo 100% preto contrastando com conteúdo em 100% branco. Inclusive, criar layouts dessa forma gera alto contraste que, por sua vez, gera a dispersão de luz, um efeito de brilho ao redor das letras brancas que ofusca e dificulta a leitura.

Com base no Google Material Design, usar tons de cinza escuro ao invés do 100% preto garante maior profundidade, elevação e amplitude de cores que podem ser usadas, possibilitando, assim, um layout intuitivo para o usuário e evitando a dispersão de luz causada pelas letras.

Por fim, temos a questão da saúde. Quando os primeiros computadores passaram a fazer parte do ambiente domésticos, o incômodo visual não era percebido, pois a maioria dos usuários não passava muito tempo na frente de monitores. Mas atualmente, com o uso de computadores sendo necessário na maioria das profissões, olhamos para a tela o tempo todo. E isso trouxe os problemas de saúde ocular. Entre os mais comuns pode-se destacar o cansaço visual, alega o oftalmologista Mario Cesar Diegues.

Seria o modo escuro superior quando trata-se de trabalhos de meio digital?

Juntando as informações e observações mostradas anteriormente, podemos notar que a resposta correta não se encontra em usar apenas um dos modos de tela (claro ou escuro) mas sim em adaptar-se conforme a necessidade.

Em situações nas quais será necessário o foco por um longo período de tempo e com grandes quantidade de texto, o modo claro pode ser vantajoso, como quem escreve um texto no papel durante o dia. Já em casos nos quais a ênfase está em imagens com textos curtos ou já é de noite, o modo escuro pode ser usado sem problemas, pois a visão já se acostumou com o ambiente noturno.

O Google Material Design menciona essa facilidade na hora da leitura: “as superfícies cinza escuro também reduzem o cansaço visual, pois o texto claro em uma superfície cinza escuro tem menos contraste do que o texto claro em uma superfície preta”.

Comparativos de telas escuros e claras
Smashing Magazine (https://www.smashingmagazine.com/2020/04/dark-mode-react-apps-styled-components/)

A hora do dia também pode ser levada em consideração. Usando o computador durante o dia, quando tudo está iluminado, o modo claro pode ser interessante, assim como o modo escuro é mais efetivo durante a noite, quando já começaremos a adaptar a vista para o ambiente noturno.

Existem outras doenças oculares que podem se beneficiar do modo escuro. A designer de produtos Jahde Vaccaci comenta em seu artigo sobre como pessoas com diferentes graus de daltonismo podem encontrar no modo escuro o contraste desejado para enxergarem com mais facilidade. Jahde também conta sua própria experiência como uma pessoa portadora de astigmatismo: “a plataforma é branca demais para quem tem astigmatismo como eu, dá um imenso desconforto, meus olhos estão queimando enquanto vejo as aulas.”

Por fim, devemos também lembrar que o tempo de exposição na frente do computador é tão importante quanto o modo de tela que é usado. O olho é um órgão como qualquer outro, então precisa de descanso para funcionar corretamente.

Médicos recomendam a técnica do 20/20/20: 20 minutos de trabalho com pausa de 20 segundos olhando a 20 metros. Recomendam também, tanto para quem usa óculos de grau ou não, o uso de óculos com lente azul, que bloqueiam as ondas azuis que saem das telas e ajudam a manter a saúde ocular.

Vale lembrar que cada olho é único, então cabe também ao usuário perceber se o modo de tela está confortável ou não.

Se você gosta de uma tela mais clara ou prefere parecer um hacker daqueles do cinema que só usam telas escuras, seria interessante buscar o caminho do meio. Procure um uso equilibrado e que permita que seus olhos descansem!

João Diegues

João Diegues

— Designer Gráfico

Vamos jogar junto?

Ao enviar este formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Parceiros